programa



nucleação

A expressiva capacidade de nucleação do PROURB vem contribuindo ao longo dos anos para torná-lo um importante centro de referência para outras pós-graduações no país. Seus egressos estão majoritariamente inseridos em instituições de ensino superior públicas e vêm contribuindo para a formação de novos programas de pós-graduação.
Por um lado, os DINTERs supracitados demonstram o engajamento do PROURB com o aspecto da nucleação e seu papel social, visto que os DINTERs do Programa estão em universidades públicase atendem regiões carentes com a região Norte e Centro-Oeste, permitindo o desenvolvimento da pesquisa e a criação de novos PPGs.

Uma grande parte dos discentes egressos do PROURB participa em cursos de graduação (na condição de professores permanentes), principalmente aqueles localizados no Rio de Janeiro (cidade e estado), mas também em Minas Gerais, Espírito Santo e Maranhão, na Paraíba, em Rondônia, no Tocantins e em outros países, como Colômbia, Bolívia, México, Dinamarca e Bélgica. Cabe registrar que alguns ocupam lugar de destaque e cargos de responsabilidade acadêmica nas suas universidades como a Pró-reitoria de Graduação da Universidade Estácio de Sá, e nos cursos de graduação, como, por exemplo, a Direção do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual do Maranhão, a Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo da PUC-Rio, a Sub-Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro,  a Chefia de Departamento na Universidade Estadual do Maranhão e a representação de sua Faculdade na Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo – ABEA. Outros egressos ocupam posição de representatividade no campo da arquitetura e urbanismo, como por exemplo, a Presidência Nacional do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB).  Vale destacar que 3 (três) outros egressos do Programa ocuparam o cargo de Presidente do IAB/RJ anteriormente. Além da presidência deste órgão, temos um egresso como vice-presidente do IAB/RJ e três outros egressos no Conselho Deliberativo do órgão. Além disso temos dois egressos exercendo cargos de diretoria no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/RJ).
Ressalta-se ainda que muitos egressos encontram-se em funções de destaque em órgãos municipais e federais ou na atividade profissional privada. Destacamos a Superintendência Regional do IPHAN, Caixa Econômica Federal (superintendente), BNDES,  superintendências e assessorias em secretarias municipais e estaduais. Muitos ocupam diversos cargos técnicos. No recente concurso público promovido pela Prefeitura do Rio de Janeiro, Morar Carioca, voltado à reurbanização de favelas, havia nas várias equipes selecionadas integrantes ou mesmo coordenadores de equipes que eram egressos do programa.

Nossos alunos egressos, tanto do mestrado como do doutorado, atuam como docentes efetivos nas seguintes escolas de arquitetura e urbanismo: UFRJ, UFF, UFES, UFJF, UFV, UFPB, UFSJ, UFBA, PUC-RIO, Instituto Metodista Bennett, UNESA, Centro Universitário Geraldo Di Biase (UGB/Volta Redonda). Alguns egressos estão atuando em IES estrangeiras com destaque para: Universidade Católica  Leuven (Bélgica), Universidade de Aalborg (Dinamarca), Universidad Autonoma de Ciudad Juaréz (México), Universidad Mayor de San Simon (Bolívia), e Universidade Piloto de Colômbia, (Colômbia). Além disso, temos egressos atuando como professores substitutos na UFRJ, na UFF, na UGF, na UNIPLI e em outras escolas no Estado do Rio de Janeiro.

Ao final de 2012 foi realizada uma atualização do acompanhamento dos egressos do PROURB e sua inserção profissional. Do total verificado, 100% de nossos egressos, tanto no Mestrado quanto no Doutorado estão inseridos no mercado de trabalho, havendo uma expressiva maioria de egressos atuando no ensino superior.  O universo total de egressos do curso de mestrado em urbanismo do PROURB é de 176 titulados. Deste total, obtivemos informações de 97% dos egressos. Na contabilização geral obtivemos o seguinte número de egressos por atividade realizada:
– Ensino em universidades de ensino públicas: 50 (28%)
– Ensino em instituições de ensino privadas: 29 (16%)
– Ensino em instituições de ensino estrangeiras: 9 (5%)
– Órgãos públicos nacionais: 37 (21%)
– Órgãos públicos internacionais: 2 (1%)
– Pesquisador/Bolsista em universidade pública: 4 (2%)
– Empresas privadas com atuação em arquitetura e urbanismo: 35 (20%)
– Associação sem Fins Lucrativos – 2 (1%)
– ONG – 1 (1%)
– Outra: 1 (1%)

Observa-se que o foco das atividades dos egressos do curso de mestrado encontra-se dividido em três eixos afins: o ensino em IES públicas, privadas e estrangeiras (88 egressos – 50%), os órgãos públicos nacionais e internacionais (39 egressos – 22%) e as empresas privadas ligadas ao urbanismo (20%).  Uma parte expressiva seguiu para o doutorado, titulando-se doutor, e outra encontra-se realizando doutoramento, sendo que destes uma boa parte realizou seu estudo de doutoramento em nosso programa.
O universo total de egressos do curso de doutorado do PROURB é de 67 titulados. Neste quadro, foi possível levantar a atuação atual de 66 egressos (99% do universo total).

Abaixo o resultado:
– Ensino em universidades de ensino públicas: 44 (67%)
– Ensino em instituições de ensino privadas: 5 (8%)
– Ensino em instituições de ensino estrangeiras: 6 (9%)
– Órgãos públicos nacionais: 7 (10%)
– Empresas privadas com atuação em arquitetura e urbanismo: 3 (5%)
– Associação sem Fins Lucrativos – 1 (1%)

Observa-se que os egressos de doutorado dedicam-se majoritariamente ao ensino superior (84%), sendo que destes 67% atuam em IES públicas 8% em IES privadas (8%) e 9% em IES estrangeiras. Uma pequena parte está inserida em órgãos públicos nacionais em atividades ligadas à área de arquitetura e urbanismo (10%), e apenas 3% atuam em empresas privadas.  Essa pesquisa demonstra que o Programa vem formando doutores para o ensino superior, notadamente para as universidades públicas, cumprindo com qualidade seu papel de nucleação.

Destacamos neste sentido a formulação em curso de um projeto de curso de Mestrado da Escola de Arquitetura e Urbanismo da UEMA, onde o PROURB formou doutores no âmbito do DINTER UEMA/PROURB.  Ainda, tivemos doutorandos da UFF, UFES, UFJF, UFV, UFPB e pós-doutorando da UFES, UFC e UFJF cuja participação no PROURB resultou em contribuição para a criação dos respectivos Programas de Pós-graduação, hoje em funcionamento.

O PROURB tem buscado cumprir seu papel institucional e social através de programas e redes de solidariedade, no âmbito de sua política institucional de articulação entre o ensino, a pesquisa, a extensão e intercâmbio. Foi o primeiro programa a propor um doutorado interinstitucional (DINTER) na área de arquitetura e urbanismo. Com a finalização do DINTER-UEMA ocorrida em 2011, o PROURB lançou-se em uma nova empreitada. Em 2010, através do Edital CAPES Novas Fronteiras, o programa obteve a aprovação do DINTER com a Universidade Federal de Mato Grosso e a Universidade Estadual de Mato Grosso (DINTER-UFMT-UNEMAT), cuja turma especial iniciou suas atividades acadêmicas em março de 2011. A seleção dos alunos foi realizada em setembro de 2010 e a turma tem 10 alunos matriculados.

O DINTER-UFMT-UNEMAT segue as mesmas premissas didático-pedagógicas do DINTER-UEMA, com as diferenças específicas decorrentes do Edital CAPES Novas Fronteiras.

Além dos programas DINTER, o programa realiza diferentes formas de cooperação com outros PPGs e centros de pesquisa do país e no exterior. O PROURB vem estabelecendo ações de cooperação e redes de solidariedade tanto com órgãos da administração direta e indireta nos níveis federal, estadual e municipal (Ministério das Cidades, Ministério da Cultura, IPHAN, e Casa de Rui Barbosa, Fundação Parques e Jardins), quanto com entidades da sociedade civil organizada, tais como organizações não-governamentais e associação de moradores. Nesse sentido, por meio de  nossos projetos de extensão prestamos assessoria técnica a diversos segmentos da sociedade civil, com especial atenção os segmentos menos privilegiados. Temos no momento os seguintes projetos de extensão em andamento:

  • Projeto Inclusão Urbanística e Social Vila Residencial. Em parceria com 30 unidades da UFRJ. Projeto PIBEX./UFRJ.
  • Projeto Integrado de Apoio Tecnológico e Social a favelas Cariocas, Morro dos Prazeres, Rio de Janeiro.
  • Plano Municipal de Arborização da Cidade do Rio de Janeiro, Fundação Parques e Jardins.

Em 2012, destacamos as seguintes cooperações e parcerias:

  • Observatório de Favelas
  • Rede Waterlat – Governabilidade e da Cidadania na Gestão da Água e da Saúde Ambiental na América Latina
  • Frente Nacional de Saneamento – membro
  • Fundação Casa de Rui Barbosa – membro do Conselho.
  •  IPHAN – RJ – termo de cooperação.
  • Associação Chiq da Silva – parceria



Publicado em 12/02/2013